28 de fevereiro de 2014

é rosa e azul



Referência para maquiagem do Lambuza Lambida

"Lambuza Lambida" pediu para ser amigo(a) no facebook. O avatar é uma flâmula bicolor em forma de "língua": rosa e azul.
(Todas as imagens foram tiradas do facebook do Lambuza Lambida)


logotipo e estandarte do Lambuza Lambida
O novo "amigo virtual" de nome estranho começou a postar fotos de pessoas com fantasias simples e divertidas. Nariz de papel, babador, avental, faixas pintadas no rosto de pessoas.



Dias depois a timeline do "Lambuza" foi invadida por croquis das fantasias e referências de imagens de figurinos medievais.  O que parecia uma diversão entre amigos era na verdade o registro do nascimento de um bloco de Carnaval, com uma identidade visual bem definida e curiosa. 






 No último final de semana fui conhecer a produção de fantasias que aconteceu na sede do Estúdio Garupa na Galeria Metrópole, centro de São Paulo. Os fundadores do bloco são o artista visual Wallace Masuko (Wall), a tradutora Marcela Vieira (Má), a arquiteta e estilista Valentina Soares (Tina - autora dos croquis que aparecem neste post) estavam lá com tesouras em punho cortando tecidos, cartolinas e gerenciando os agregados que formavam a linha de produção para a participação especial no bloco "Tarado Ni Você". Em meio a tudo isso, Wall e Tina me contaram a história do bloco.

Tina e Wall se produzindo


Tudo começou...
Wall: "Fomos no bloco 'Agora Vai' (que percorre o Minhocão na terça de Carnaval). Aí pensamos. Tá muito cheio. Vamos fazer um bloco para gente e vai sair do Teatro Municipal. Depois a gente esqueceu. No Reveillon deste ano conversando com a Tina retomamos a ideia".

Lambuza em participação no bloco Ciga-Nos


O nome
Tina: Numa viagem para um sítio, começamos uma verborragia e alguém falou: 'Lambuza'. Tem tudo a ver! Essa a coisa carnal, essa brincadeira menino e menina e a troca de papeis que acontece no Carnaval. Então, começamos a desenhar as fantasias.

Letra do samba do bloco

Figurino
Tina: Ganhei um livro do meu pai que tinha umas ilustrações incríveis do Dobout. É um livro de poemas do François Villon, que é um poeta medieval. E achamos que tinha tudo a ver. Tinha aquelas figuras ogras, aqueles chapéus pontudos, e as cores cândidas. Fomos definindo a cartela e chegamos no azul e rosa. Wall: Você pode ver nas fantasias. Tem idade média, mas também tem muita forma de "língua".






#bookdodia








Trajeto
Chamado "Cortejo Real", o bloco tem o Teatro Municipal na Praça Ramos de Azevedo como ponto de partida e a fonte do Vale do Anhagabaú, em baixo do Teatro, como ponto de chegada. "Passa por todas as escalas da cidade", explica Tina, deixando escapar um termo usado pelos arquitetos.



***
Cortejo Real Lambuza Lambida
Segunda 03 de março 17h
Na frente do Teatro Municipal - Praça Ramos de Azevedo - Centro




***
Nostalgia: um dos primeiros posts do modapraler, lá em 2006, foi sobre Carnaval

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.