17 de janeiro de 2013

moda pra ler sete anos: nostalgia e o futuro


Em sua última entrevista como diretor de criação da Hermés Jean Paul Gaultier justificou sua saída da grife explicando que os ciclos das histórias de amor duram três e sete anos. Ele falou mais uma quantidade de anos que não lembro, mas que não vem ao caso porque o estilista francês deixou a grife depois de sete anos. Essa fala dele me veio a cabeça porque hoje o moda pra ler completa 7 (sete!) anos. Por isso fiquei com vontade de relembrar publicamente as primeiras sensações da minha história d’amour* com o blog.

*A palavra amor foi feita para se dizer em francês, né? A pronuncia do “our” obriga a fazer biquinho e provoca até uma cosquinha no lábio superior. Experimente!

O Moda pra Ler é um dos primeiros (dizem até que é o primeiro) blogs de moda do Brasil. Uma mistura de sensações me fez criar a página, listo as duas principais: 1- vontade de trabalhar com jornalismo de moda e não conseguir entrar no mercado; 2- vontade de escrever algo distinto do que era feito na imprensa da moda.

Pressionar pela primeira vez com o botão “publicar” foi traumático. Sentia vergonha de me expor e medo de ser criticada. Depois de alguns dias recebi um comentário de um desconhecido. Fiquei emocionada! Em março do mesmo ano o Moda pra Ler foi indicado no site da Capricho e em agosto na revista. Ao mesmo tempo recebia os comentários de outros blogueiros de moda (Oficina de Estilo, Moda sem Frescura, About Fashion, Descolex) iniciantes como eu. A blogosfera da moda começava a se formar.

Ser sua própria editora era extremamente excitante. Fiquei completamente viciada em alimentar o blog. Passava horas e horas pesquisando na internet, fazendo listas e listas de possíveis pautas (e continuo). Até hoje acho que uma das melhores coisas de ter um blog é a independência de ritmo, e de pauta. O tal “gancho” jornalístico e a obsessão pelos pageviews são limitadores.

Aos seis meses de blog tentei me credenciar para o São Paulo Fashion Week e não consegui. Abusada, publiquei a recusa no blog. Na época as semanas de moda dos EUA e da Europa já credenciavam “blogueiros”. E em 2006 consegui meu primeiro freela de moda para a extinta revista "Moda" da Folha de S. Paulo. No SPFW seguinte, janeiro de 2007, o moda pra ler, e outros blogs fizeram a primeira cobertura “blogueira” do São Paulo Fashion Week. Por ironia do destino nunca mais tentei mais credenciar o blog no evento porque passei a cobrir o evento na equipe do GNT Fashion, onde trabalhei como roteirista por três anos. Em dezembro daquele ano o Moda pra Ler ficou em terceiro lugar como “melhor blog de moda” no Prêmio Chic.

A entrada efetiva no mundo da moda antecipou para dois anos o ciclo de amor estabelecido por Gaultier. O envolvimento cotidiano e obrigatório com o mundo da moda transformou o blog, o deixou mais analítico porque já não sentia a necessidade de relatar todas as novidades.

Por muitas vezes pensei em abandonar o blog. Por alguns períodos de fato o deixei de lado. Porque o mundo da moda às vezes cansa. A moda é um assunto muito sério, poderoso, importante. A moda enquanto criação, enquanto comportamento é um tema inesgotável e capaz de depurar todos os âmbitos da sociedade. Essa costumeira redução da moda ao consumo e ao status é cansativa e repetitiva.

... mas o mundo (digo, planeta Terra) não acabou no dia 21 de dezembro e os tempos são de otimismo aqui no Brasil. Ando um pouco embebida nesse espírito marqueteiro de renovação, e porque não o usarmos para o bem? Sabe aquela música “Tempos Modernos”, do Lulu Santos? De letra simples e direta: “eu vejo um novo começo de era, de gente fina elegante e sincera, com habilidade para dizer mais sim do que não”. É por aí.

Olho para trás e vejo que o moda pra ler foi, e é, o meu melhor portifólio e a minha melhor vitrine. Cada e-mail e comentário de estudante dizendo que o blog é inspirador, elogios de leitores, de colegas de profissão, e saber que o blog é citado em cursos de moda como referência de conteúdo, e até a inveja de algumas pessoas (acreditem, no mundo real/ físico tem dessas coisas ;) são grandes estímulos.

Diferente de Jean Paul Gaultier, não vou terminar aqui meu ciclo de amor aos sete anos (até porque não estou envolvida em interesses comerciais que no fundo resumem o fim da história entre o estilista e a marca, mas não tira em absoluto o charme do seu discurso), e sim renovar os votos.

***
E então...A novidade. Resolvi por em prática uma ideia antiga: a partir de hoje o Moda pra Ler aceita colaborações afetivas.

Convido os leitores fieis, jornalistas, fotógrafos, produtores de moda, estilistas, aspirantes ou veteranos, que se identificam com a linha de pensamento do blog a mandarem seus trabalhos. Release não vale, hein? Son bienvenidos trabajos de gente de otros países.

Se interessou? ANTES de mandar qualquer coisa escreve para modapraler@gmail.com que te explico como contribuir.

3 comentários:

  1. Parabéns pelos 7 anos... Você é uma inspiração!

    ResponderExcluir
  2. Oi Laura!! Parabéns!! Conheço o blog a pouco tempo e muito me conforta ver que no meio de tanta coisa ruim que a net joga pra cima da gente, o tempo todo, existe um oásis de inteligência, coerência e informação com profundidade!! Você escreve de forma deliciosa e fala sobre a moda como eu gostaria de falar...rs...parabéns mais uma vez! Um beijo e um carinho. Kina.

    ResponderExcluir
  3. Parabéns, Laura! o Moda Pra Ler foi um dos primeiros blogs que li na vida e, com certeza, inspiração pra eu criar o Bainha em junho de 2007. Senti as mesmas coisas que você, embora eu acho que esteja mais desgostosa da área que nunca - cada vez caminhando pra outro lado que não moda propriamente dito.
    mas enfim, faz parte do ciclo. vou preparar um texto carinho então, como leitora das antigas =]
    bjsss

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.