4 de dezembro de 2012

comentários sobre a revista da Carine Roitfeld

Algumas imagens de moda ficam. Em meio a atual volatilidade da informação de moda, Carine Roitfeld criou o CR Fashion Book. Híbrido de revista e livro, com direito a seis meses de reflexão entre uma edição e outra. A primeira, outono/ inverno 2012, foi lançada em setembro.

Carine Roitfeld com CR Fashion Book em mãos

A ex-editora chefe da Vogue Paris ficou maior que a revista (Foram 10 anos, começo de 2001 até fim de 2010). Um fenômeno bastante contemporâneo por sinal. Os bastidores superando o espetáculo. A vida real mais interessante que a ficção.








editorial CR Fashion Book - "Queens: Women on the Verve of Something" - Pierpaolo Ferrari©
Porque ela logrou tal êxito? Muitos aspectos podem ser considerados. Vou pelo sensitivo. Roitfeld traduz de algum modo o papel da mulher na sociedade atual, tanto nas imagens de moda que propõe, quanto em sua própria figura.



editorial CR Fashion Book - só com roupas de alta-costura - Luca Guandagnino©
Ela ficou rotulada pelo estilo "porn chic" porque costuma colocar em seus editoriais modelos exibindo os seios, ou completamente nuas. Gosto da interpretação dessas imagens de nu como uma tentativa de dessacralizar o corpo feminino, mostrar seu poder, sua sensualidade de uma maneira natural. Trata-se de uma proposta de imagem diferente das revistas masculinas, por exemplo, nas quais o nu feminino vem regido pelo olhar antecipadamente malicioso do espectador.

Na primeira edição da revista CR tem sim modelos exibindo os seios. Também tem editoriais tradicionais feitos em estúdio. Tem um “editorial família” que reverbera nas duas capas. Tem uma homenagem a modelo e hoje designer Elsa Perreti (fiz um post sobre a Elsa Perreti ano passado, te cuida Carine ; )...






Kacper Kasprzyk©

Vale a pena pontuar que boa parte dos editoriais vem acompanhados de textos que refletem sobre as imagens. Quando não há um texto, a explicação chega em frases de efeito que vão além da simples apresentação das tendências - "New Icons, New Shapes, New Directives"; "Black on Black: Not technically a color unequivocally a style" ou 


"The White Mughal, a Collision of East and West.
A Tale of Desire and Transcendence.
A Woman of Extraordinary Character"




Anthony Maule© - com jeito de pintura flamenga, né?


E tem textos diversos. Sobre arte, comportamento, música, além de um falando sobre os porcos como animais domésticos. O papel protagônico de Carine Roitfeld no mundo da moda lhe rendeu uma agenda de contatos bastante eclética. Inclui as atrizes Anne Hathaway e Kirsten Dunst, e a indiana Amma, conhecida por rodar o mundo distribuindo abraços. E fashionistas de peso não ficaram de fora. Tom Ford e Karl Lagerfeld contribuem com a publicação como fotógrafos/ escritores.

Lagerfeld bate uma nostalgia sobre a beleza elegante das francesas entre os 60’s e 70’s, em fotos estreladas pelas divas dos 90’s: Linda Evangelista, Stephaine Seymor e Carolyn Murphy.




Já Ford apresenta sua versão de Romeu e Julieta (Lucho and Juliet)





O “Rebirth”  (Renascimento) como subtítulo da revista não é por acaso. Marca a volta de Carine no mundo editorial, embebida por um novo sentimento de se tornar avó. A publicação reflete seu otimismo com a nova fase.

Julie Roitfeld, filha de Carine, grávida, clicada por Sebastian Faena



"Lullaby - A New mother, a new silhouete"
editorial para a mãe moderna Jean-Baptiste Mondino©
As fotos das duas capas clicadas por Bruce Weber, seu parceiro de longa data, fazem parte do editorial “Hush Little Baby Don’t You Cry” – A Story about Second Chances and Active Imaginations", que traz uma sorridente e saudável Kate Upton vestida com fantasias, envolta por uma aurea onírica e lúdica.


No vídeo se vê bem o clima de otimismo. Cheio de bebês e filhotes fofos.




entrevista com Carine Roitfeld sobre a revista
Em inglês e com legenda em inglês em função de seu sotaque:



Tem mais fotos do CR Fashion Book aqui

***
Um dos colaboradores da revista de Madame Roitfeld é o fotógrafo argentino Sebastian Faena.   O editorial mais divulgado da revista foi clicado por ele. Mais soturno, conta vida de uma mulher em várias etapas e joga com a ideia da morte que precede o renascimento.








Aos 31 anos ele desponta entre os grandes da fotografia de moda. A pitada do drama portenho cai bem em suas imagens. Ele tem feito trabalhos interessantes para a V Magazine.

No vídeo Sebastian e Carine trabalhando juntos:




***
Já que estou disfrutando dos meus últimos dias da vida porteña =( aproveito para contar uma fofoquinha e dar uma dica de passeio. Sebastian é primo de Alan Faena, um milionário excêntrico que só se veste de branco e usa chapéu de caubói. Ele é o dono do hypado hotel Faena localizado em Puerto Madero e decorado pelo Philippe Starck. Também criou o Faena Arts Center.  Por lá nomes de destaque da arte contemporânea propõe obras para ocupar um grande salão. O escolhido da vez foi o alemão Franz Ackermann.  Ele criou um painel multicolorido inspirado na geografia e na arquitetura de Buenos Aires.

Laura Artigas© - essa tirei quando fui lá ver.

***
Vale a pena ver de novo o editorial da W Magazine em que a Carine foi modelo.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.