1 de março de 2012

Buenos Aires@WGSN

Estou passando um tempinho em Buenos Aires. Por aqui está rolando a Fashion Week local e aproveitei para ir à palestra do WGSN sobre macrotendências para o verão 2013. Como estive ausente do último SPFW fiquei bem contente em conferir o repeteco em castelhano.

Mais modesta que a edição paulistana, a conferência portenha do site aconteceu na Casa Natura, um charmoso espaço em Palermo Viejo.

wgsnbas01

Catalina Marín que trabalha baseada na Colômbia apresentou as três macrotendências para o verão 2013, e em seguida, Analia Piffaretti, diretora comercial do bureau para a América do Sul (a sede da rede sul americana do WGSN fica em São Paulo), sugeriu estratégias de marketing para as empresas de moda. 

Antes de começar a apresentação Catalina falou de sentimentos universais que estão permeando o mundo e influenciarão o verão 2013. “Desintoxicar da tecnologia”. “Ser legal com o próximo”. “Valorizar a realidade”, “A volta de questões filosóficas: de onde viemos? Para onde vamos?”. Um estudo de uma universidade inglesa apontou a volta do interesse pela física (atribuo isso a Sheldon Cooper e seus amiguinhos do The Big Bang Theory). Empresas como a Apple, o Google, Facebook, continuam promovendo o “ser nerd é cool”. Olha o inconsciente coletivo aí gente!

IDIOMATIC
A peculiaridade desse vídeo é a trilha sonora. Michel Teló. Essa música não para de tocar aqui em Buenos (também). Como vocês verão a seguir já há versões em línguas estranhérrimas. A razão pela qual o tema foi escolhido é ser local e global ao mesmo tempo. A língua não é mais uma barreira. Segundo os pesquisadores do WGSN está acontecendo uma revalorização das culturas locais. Marín citou botas tradicionais mexicanas de bico bem pontudo que ganharam nova vida e viraram uniforme da balada.


Na moda: é uma sugestão para cores saturadas, assimetria, rústico e o sofisticado juntos.


WONDERLAB
Essa tendência tem a ver com a ciência e tecnologia, e particularmente com a tecnologia, que possibilita ver beleza onde nunca havíamos imaginado. A referencia principal são as fotos tiradas por meio de microscópios super potentes que aumentam em milhões vezes o tamanho de células, vírus e bactérias. Nesse sentido, Catalina falou que há estilistas estudando o corpo humano de maneira mais aprofundada. A Wonderlab também tem a ver com a história de possuir um conhecimento muito específico, em outras palavras, ser perito em um tema que pouca gente conhece.


Na moda: poderá se manifestar por meio de estampas inspiradas na microbiologia, tecidos e acabamentos tecnológicos, tais como alguns tipos de resina, e de tirar o belo do inesperado.

STORY OF NOW

E a última macrotendência aponta os consumidores que querem o absoluto, o concreto. Aquelas pessoas que estão cansadas de promessas que não se cumprem. As marcas devem ter atenção redobrada com esse tipo de consumidor que exige seus direitos. Esta associado a isso as manifestações que estão acontecendo mundo afora. Ela mostrou um slide em que havia uma foto de uma garota carregando uma placa escrito “the new beginning is near”. Apontando não o pessimismo, mas sim, uma nova maneira de ver o mundo. E nas artes isso pode ser traduzido pelo trabalho “Back to the future” da fotografa Irina Werning. Essa macrotendência tem um quê de nostalgia também.


Na moda: aparece por meio de colagens, reciclagem, sobreposições, e da influencia esportiva, a medida que há um certo despojamento no vestir deste grupo. Também se associa a uma produção artesanal, mais exclusiva.

***
A palestra de Analia Piffaretti seguiu com sugestões de ações de marketing para as marcas cativarem os clientes. Ela citou ferramentas como o tumblr, o istagram, foursquare, games e aplicativos de smartphones e citou exemplos de como algumas marcas estão tirando proveito disto. Além apontou a mudança de postura de algumas marcas que estão mudando o catálogo fotográfico por vídeo. E a vontade do consumidor de “visitar a cozinha da marca”, conhecer o processo de fabricação e saber dos bastidores de desfiles, fotos, etc. A comunicação por imagem, aliás, é o caminho mais indicado, pois fisga mais rápido o almejado cliente/internauta.

wgsnbas02

A mensagem final é que não adianta a marca produzir conteúdo pontualmente. A sedução ao cliente tem que ser contínua. Usou o termo “Story-Building”, ou seja, a história da marca deve estar sempre em construção.

Burberry, Nike, Puma, e as brasileiras Maria Filó, Farm, Cia. Marítima e o site de venda on-line de calçados Shoes4You, foram citadas como cases de sucesso.

vou puxar a sardinha pro meu lado, porque fiz o roteiro, assistência de direção, e co-edição desse vídeo.

A executiva provocou as grifes argentinas presentes a pensar estratégias para o consumidor brasileiro, uma vez que está pertinho, têm dinheiro e podem aproveitar o alto potencial de design dos vizinhos.

***
Saí inspirada da palestra e fui dar uma voltinha em Palermo Viejo, o bairro trendy daqui. Entrei em uma loja chamada Brujas (Serrano x Gorriti) que vende uma seleção de designers independentes. E dentro do espaço, espiando o que andam aprontando os novos estilistas argentinos, ouvi no rádio dois comentaristas conversando sobre os cinquenta anos da chegada do primeiro computador no país. Foi apelidado de Clementina e custou algo na casa dos milhões à Universidade de Buenos Aires, e exigia uma sala inteira.

wgsnbas03

wgsnbas04

A prosa da dupla foi rumando para as tecnologias atuais e eles começaram a falar do Instagram. Como os efeitos do programa despertam a nostalgia da época analógica e mexem com o lado afetivo das pessoas. E de como por meio deste aplicativo se encontra beleza no inesperado, seja estação de metrô do costumeiro caminho ao trabalho, ou um detalhe na rua da casa que nunca se havia notado. No creo en las brujas, pero que las hay las hay.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.