15 de fevereiro de 2011

do lixo à tendência

Na Estônia tem gente pensando em revolucão. A estilista Reet Aus está no comando do projeto "Trash to Trend" que tem o objetivo nada fácil de mudar a mentalidade das pessoas na indústria da moda. Para explicar todos os pontos da sua campanha ela resolveu estrelar o documentário "Out of Fashion", com estréia prevista para 2012. O trailer é sedutor:

Out Of Fashion -documentary trailer from Reet Aus on Vimeo.




Na linha da Reet Aus, há iniciativas bem interessantes de estilistas que reaproveitam restos de tecidos ou roupas usadas para criar novas coleções. Aqui no blog já falei da by mutation (Brasil/França), da In.Use (Brasil/ Uruguai) e da Andrea Crews (França).

Outra experiência que vale a pena citar é a da E2. Os estilistas Michèle Meunier e Olivier Chatenet, ainda nos anos 80, resolveram fazer uma coleção a partir de peças vintages. Eles ensaiaram a entrada no mercado em 1987 quando lançaram a primeira coleção. Na ocasião a marca chamava Mariot Chanet, mas com a recessão que seguiu nos anos 90 na França não vingou. Em 1999 eles voltam com a E2, já batendo na tecla da "peça única". Por esse pensamento revolucionário, ainda que mais voltado para a exclusividade e do que para o meio ambiente, lhes rendeu um lugar no hall de estilistas que estão em cartaz naquela exposição no Museu de Artes Decorativas em Paris.

... E a gigante do fast-fashion H&M anunciou que vai lançar uma nova linha eco. As vendas começam em abril.

© H&M Conscious Collection


***
A Cecilia Dean disse que a moda trabalhar a favor do meio ambiente é o único caminho para a moda no futuro. As marcas tem que mudar. Claro. E nós consumidores temos que fazer a nossa parte também.

Somos todos vítimas do famoso "fetiche da mercadoria"*. O prazer que o ato da compra nos proporciona faz com que a gente esqueça das suas consequências. Não lembramos, por exemplo, que em menos de um ano aquela peça comprada por impulso, fabricada em tecido sintético de má qualidade estará desgastada e fora de moda. Não vamos mais querê-la. Ela será rejeitada pelos brechós. Não vai servir para pano de chão e amargará em algum lixão do mundo, dispensada até pelos urubus.

***
Enquanto o filme da Estônia não estréia... Duas sugestões de documentários para por o dedo na ferida do consumo:

"A Corporação"



o Google disponibiliza na íntegra.

"Surplus"



na íntegra aqui

Um comentário:

  1. Amei o post. Achei genial a idéia da H&M de usar os tecidos de coleções passadas para fazer novas peças.

    Adorei o seu blog. Já estou te seguindo aqui e no twitter.

    Bjos

    Dani
    www.miscelaniumfashion.com
    @miscelanium

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.