20 de outubro de 2009

Tempo de alegria e algumas questões para os próximos capítulos

As passarelas internacionais estavam mais felizes nessa temporada primavera/verão 2010, não? Um clima de otimismo tomou conta dos estilistas depois de um inverno austero em meio a crise econômica. E o Marc Jacobs disse ao style.com que é hora de sonhar.

todas as fotos são do Style.com

Marc Jacobs

Chanel

Dior por John Galliano

Lanvin

Marc by Marc Jacobs

Prada(!!)

Balenciaga


Já ouviu falar no New look do Christian Dior? Pois é, andei lembrando dele ultimamente. A expressão foi criada por Carmen Snow, editora da Harper´s Bazaar para batizar a ousadia de Dior em pleno pós-guerra. O estilista respondeu com uma saia volumosa e rodada à moda contida, adaptada na marra em função do racionamento de tecidos do periodo anterior.




Tive um pouco essa sensação com essa temporada - de um novo começo de era... (de gente simples elegante e sincera =), que chega depois da crise econômica que abalou fortemente o mundo, mas principalmente os Estados Unidos.

Essa sensação casou direitinho com os dizeres da super analista de tendências Li Edelkoort. Na palestra sobre o verão 2011 (!), que assisti no mês passado, ela disse que as pessoas vão parar em sofrer. Segundo Li começamos o século XXI com os atentados de 11 de setembro, e desde então instaurou-se uma era de medo, pânico e insegurança. O caminho cheio de intempéries começa a dar lugar a um novo tempo, que, pasmem, anuncia a morte do vestido.

A Li Edelkoort (direita) - foto @modapraler

Dior acreditou que uma saia bem rodada e feminina era o sinal de um novo rumo. Para a consultora holandesa a mulher usa vestido para se sentir bonita. E ela só tem essa necessidade quando se sente insegura e precisa ser desejada. Então nesse novo tempo de felicidade a mulher vai se sentir livre, leve e solta e não vai precisar de um visual sedutor.

No site da Lilian Pacce tem mais sobre essa palestra e aqui no site da revista Criativa tem outro textinho a respeito.

Essa idéia de mulher não usar mais vestido me lembrou o sucesso das propostas de Christophe Decarnin para a Balmain. É a imagem de uma mulher segura, sedutora e não menos feminina. Intuição para os próximos tempos? Vamos aguardar os próximos capítulos da história da moda.



Balmain primavera / verão 2010

Se o mundo acabar mesmo em 2012, então, 2011 será o ano para viver como se não houvesse o amanhã. Ah! Tirem os vestidos do armário e usem-os enquanto é tempo.

3 comentários:

  1. Olá,
    Adoro o estilo mulher poderosa Balmain. Quem sabe Freud explica!
    abraços e bom domingo

    ResponderExcluir
  2. Laura adoro seu blog!!Estou sempre acompanhando!!Bjos e boa semana. Quando puder, vem me visitar, tenho dois blogs!!

    ResponderExcluir
  3. Olha, uma calça agarrada como essa da Balmain não me parece menos intencionada de provocar o desejo do que um vestido.
    Ousaria dizer que esse papo do fim do vestido é o maior glé glé glé.

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.