26 de agosto de 2009

a foto tensão de guy bourdin

Duas ótimas exposições de fotografia estão em cartaz em São Paulo. A primeira é do fotógrafo francês Guy Bourdin, no Mube e a outra do Otto Stupakoff no Instituto Moreira Salles. Além do talento indiscutível, os dois têm histórias de vida que davam filme. Um pela obsessão outro pelo liberdade. Cada um merece um post. Começou com...

Guy Bourdin

Suas biografias disponíveis na internet contam que ele nasceu filho de mãe solteira e acabou criado por outra família. Maurice Bourdin, foi seu pai adotivo, e dele veio seu famoso sobrenome.



Seu interesse pela fotografia começou durante o período que passou prestando serviços a aeronáutica francesa. De volta a Paris ele se aproximou de Man Ray, fotógrafo e artista famoso por seu envolvimento com o dadaísmo e o surrealismo.



Pronto. Beber na fonte desses movimentos artísticos foi decisivo para sua carreira. Bourdin também pintava, desenhava e realizou alguns filmes.

editorial para a Marie Claire francesa

Em pouco tempo conquistou as editoras de moda das principais revistas de moda. No seu currículo tem Vogue Francesa, Britânica, Italiana, Marie Claire e Haper´s Bazaar. Assinou campanhas de Gianfranco Ferré, Ungaro, Chanel. Uma das parcerias mais célebres foi com a marca de calçados Charles Jourdan, o Louboutin de seu tempo. Desde o começo de sua carreira já fazia exposições. Sua fotografia já nasceu com status de obra de arte.

campanha Charles Jourdan em 1978 - a foto que mais gostei na exposição

Sua vida pessoal também é refletida em seu trabalho. Diz a revista Profissional Photographer da Inglaterra que ele prendia sua mulher Solange Louise Geze no apartamento.Sua esposa morreu em 1971 do coração (é bem difícil achar informação sobre ela na internet). Duas de suas namoradas se mataram. E segundo a mesma publicação o cantor David Bowie diz que ele tentava reproduzir a morte de sua mulher nas fotos. Ai! Também corre que ele era um pouco cruel com as modelos e obrigava-as a ficar horas na mesma posição.


O fato é: com tantos atributos e polêmicas seu trabalho é extremamente marcante. Muito antes do photoshop ele iluminava as fotos de um jeito a deixar as cores muito pronunciadas, principalmente os vermelhos. David Lachapelle também não surgiu do nada, não é mesmo?



O resultado de suas fotos são imagens muito fortes. Misturam beleza com uma certa morbidez. É possível sentir uma certa angústia olhando para uma foto de Bourdin.



Já seus filmes são mais leves. Seu olhar do fotográfico sobre o vídeo deixa a câmera quase estática. A movimentação bem sutil como se fosse um zoom, ameniza as emoções. Os vídeos podem ser vistos nesse link do showstudio



Samuel Bourdin, filho de Guy com Solange, cuida super bem da obra do Pai. Ele inclusive processou a Madonna por plágio. O motivo foi o clime da música "Holywood".

Assitam ao clipe tirem suas conclusões.



serviço:
Guy Bourdin - A message for you
até 31 de agosto (corre!) no Mube - Museu Brasileiro da Escultura
Av. Europa, 218, Jardim Europa. Grátis.
http://www.mube.art.br/

***
sugestões de livros sobre o Guy Bourdin são bem-vindas

Um comentário:

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.