21 de novembro de 2008

Pense Moda Dia 2 - Mariano Vivanco

Crédito: Site Pense Moda

O segundo dia de pense moda começou com a palestra do fotógrafo Mariano Vivanco. O neozelandês contou a história da sua vida profissional que começou com decepções, empurrõezinhos de gente generosa e uma pitada de sorte.

Sua paixão por imagens começou vendo Sofia Loren e muitos filmes, principalmente os italianos. Ele cita o clássico “Roma Cidade Aberta” do diretor Roberto Rossellini. Nos anos 90 a modelo Linda Evangelista também passa a ter lugar de destaque no seu imaginário. Na área da fotografia seus favoritos são Richard Avedon, Helmut Newton e Irving Penn

Foi cursar fotografia em Melbourne na Austrália, onde estudou em duas escolas de fotografia. Tentou a vida em Londres, mas não teve sucesso. Voltou para a Oceania desiludido e decidiu ter carreira solo. E contou com um empurrãozinho da sorte e conseguiu fotografar um grande catálogo de moda. Voltou à Londres quatro anos mais tarde com seu portifólio e agenda de contatos mais recheados e sua carreira internacional começou a acontecer. Hoje ele fotografa catálogos de grifes como Dolce & Gabbana, Prada e Ermenegildo Zegna.

Enquanto falava ia mostrando algumas fotos. Sobre seu processo criativo carrega como ensinamento uma frase de um professor de uma das escolas de fotografia em que estudou: “Sou um comunicador de moda”. Ele conta que a inspiração vem da felicidade e para o trabalho funcionar tem que ter uma idéia na cabeça. Comentou que o trabalho com o Nicola Formichetti na Dazed and Confused acontece de maneira orgânica e por isso os bons resultados. Contudo, quando faz publicidade não tem a libertade criativa da publicação britânica, mas que não se sente limitado por isso. “O importante é o cliente sair feliz”.

Destaque para o Back To The Fuschia. Aí em baixo.






Vivanco além dos ensaios fotográficos também produz vídeos. Ele começou experimentando e hoje oferece como diferencial para o cliente.









Observem o enquadramento e a posição da câmera nos vídeos. São extamente o olhar estático do fotógrafo. Como se deixasse o obturador aberto com maior tempo de exposição. E os closes? São o zoom da câmera.



***
Não consegui assistir o resto da programação integralmente. Sobre as outras palestras você lê os textos do Luigi no site oficial do evento.

Um comentário:

  1. sensacional post, laurita. me ensinou a olhar de um jeito que eu não sabia antes. adorei, obrigada! =)

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.