8 de agosto de 2008

mpl recomenda: Quixote



Amanhã estréia a peça Quixote, baseada na obra prima de Miguel de Cervantes. A montagem é uma abordagem totalmente nova e com trilha sonora moderníssima. Quem encena é a Cia. Dos Imaginários da minha querida amiga Aline Baba, que vive o fiel escudeiro de Dom Quixote, Sancho Pança.

Pelo MSN ela me contou um pouco sobre o figurino da peça. E o que era para ser uma conversa de comadres acabou virando uma entrevista (da minha parte) e uma aula (da parte dela) de como os atores de teatro ralam e encontram soluções criativas para conseguir levar seus projetos aos palcos, mesmo com orçamentos limitadíssimos. Então, resolvi dividir nossa troca de mensagens por aqui para os leitores se ambientarem com o dia-a-dia da montagem de um figurino teatral.

Laura diz: mas me conta como vcs fizeram o figurino?
BABA diz: então, os figurinos são pijamas para alimentar o clima onírico do espetáculo...que foi pensado como se fosse um delírio dos leitores do Dom Quixote sonhando em refazer sua trajetória....
Laura diz: mas onde vocês compraram?
BABA diz: então... compramos um rolo de tecido na 25 que eu saí carregando com a Keity..e a mãe dela que é costureira fez pra gente... (baixo orçamento)
BABA diz: agora o tecido acho q é tipo de toalha de mesa...listrado de branco e bege
Laura diz: e em teatro é sempre assim, né? Um ajuda daqui, outro dali.
BABA diz: Sim... de acordo com os orçamentos... Infelizmente...O certo era contratar pessoas e pagar os valores devidos aos seus trabalhos...
BABA diz: mas temos que ficar meio de pedintes, no caso
Laura diz: e se rolasse um orçamento melhorzinho o figurino estaria em que lugar da lista?
BABA diz: segundo lugar, junto com a cenografia.
em primeiro um cachê pra equipe claro
Laura diz: se o Quixote tivesse uma verba incrível como seria o figurino e o cenário?
BABA diz: Acho que não seriam diferentes... mas nossos pijamas já estão furados...precisamos de novos hahaha
BABA diz: ah e o cenário queríamos uma verba -para fazer livros cenográficos...que livros originais pesam pra caramba. Mas a concepção nesse caso seria a mesma




Laura diz: Quantos % o figurino representa numa peça?
BABA diz: não se avaliar quantos por cento, mas é importantíssimo para a caracterização e para como psso dizer...
para passar verdade para o público mesmo, daquilo que você quer representar... A concepção do espetáculo mesmo, tem q estar muito em sintonia...
BABA diz: se vc se propuser a fazer uma peça de época por exemplo e tiver alguém com um relógio de pulso em cena pode estragar as melhores das interpretações... pelo menos eu repararia
BABA diz: tem que ter uma linha a se seguir... e diria até que uma paleta de cores é necessária (para os mais criteriosos claro). Unidade é a palavra
BABA diz: O Quixote por exemplo é totalmente pastel...contrastando com a iluminação que é mais verde e azul e com o laranja dos adereços do Quixote e do Sancho (Pança)
BABA diz: no caso foi a gente que pensou isso, mas em geral as peças tem cenógrafo e figurinista que deveriam trabalhar juntos para não destoar as duas coisas
Laura diz: Alice, o público tem um contato direto com o figurino tem que lavar sempre né?
Laura diz: e a escolha do tecido, porque vocês suam em cena e tal, isso é levado em consideração?
BABA diz: no nosso caso a gente lava por que não tem problema...são pijamas simples
BABA diz: mas tem figurino mais complexo...que é descolorido e dado tonalidade em coisas tipo chá e café.
BABA diz: daí tem q ficar fedendo pra sempre
BABA diz: chá e café é pra envelhecer normalmente


Laura diz: ah... vocês fazem experimentos nas roupas?
BABA diz: Sim! tudo tem que testar em cena... além de ver se combina com a concepção tem que ver a funcionalidade para trocas rápidas por exemplo.
BABA diz: no Hamlet a gente fez saias compridas e na cintura era um elástico...vimos q não funciona pq toda ez que alguém pisa na barra aparece a bunda...
BABA diz: qdo remontarmos teremos que fazer saias com algo mais fixo na cintura

BABA diz
: Ah! os adereços no Quixote tb são importantes pq eles representam coisas que na verdade eles não são...
BABA diz: guarda-chuvas é a lança
BABA diz: colete salva-vidas é armadura.

***
Vale lembrar que a peça não tem figurinista. Os trajes usados em cena foram desenvolvidos pelo grupo.
Créditos das fotos: Mariana Noguera

Quixote:
De 9 a 31 de agosto
Sábados, às 21h; domingos, às 20h
Ingressos: R$ 20, aceita cheque
Meia entrada para idosos, estudantes e classe teatral
Teatro Denoy de Oliveira
Rua Rui Barbosa, 323 - Bela Vista
Tel. (11) 3289-7475

3 comentários:

  1. olha, achei uma maravilha. podia ter mais. muito legal vc colocar figurinos, produção de teatro no blog de moda.
    tudo muito a ver!

    ResponderExcluir
  2. Acho muito legal trabalhar com figurino, mesmo a verba sendo pouca. Acabou que a estética ficou super bacana. É claro que com uma verba melhor não haveriam contratempos nem correria para substituir as roupas rasgadas e etc. As vezes o simples chama mais a atenção quando o conceito é bem trabalhado.
    Abraços ;)

    ResponderExcluir
  3. Achei este blog por acaso e gostei muito. Ainda mais no final desta página quando leio sobre um espetáculo, pois sou atriz e meu grupo viveu o mesmo "drama" de criação de figurino, mas no final acabamos adorando a idéia de cria-los. Parabéns.

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.