14 de abril de 2008

Fashion Marketing - parte 1

Descarrego agora, em partes, o turbilhão de informações que absorvi semana passada no Fashion Marketing e na palestra do Dai Fujiwara.

Começo pelo Fashion Marketing. Perdi o primeiro dia e fui apenas na parte da tarde no segundo. Conferi a palestra dos Birman e da head hunter Floriane de Saint-Pierre.

Antes de discorrer sobre essas conferências, faço um texto-lamento por ter perdido o discurso de Gustavo Lins. Contudo, tive a oportunidade de ver o material bruto da entrevista que a Lilian Pacce fez com o estilista para o GNT Fashion, em seu ateliê em Paris. Desde então fiquei encantada por seu trabalho e por sua percepção da moda.


Crédito: Day Life

Me pareceu que seu trabalho com a moda ultrapassa os limites mundanos e ganha um plano espiritual. Uma entrega total.

Na reportagem ele mostrou as fôrmas de cerâmica que faz para conservar o desenho e o caimentos das roupas. E em outro momento contou que dá mais valor para as costas da peça porque “é como as pessoas te vêem”. Uma alusão a vida corrida que temos, onde as pessoas passam. Vi no compilado de frases do Chic que ele detalhou sua formação acadêmica e revelou sua persistência em aprender e chegar a perfeição de cada detalhe.

Para quem não teve a oportunidade de conhecer o estilista explico em poucas linhas:

Gustavo Lins é mineiro, se formou arquiteto pela Universidade Federal de Minas Gerais. Depois de formado decidiu estudar o trabalho do arquiteto catalão Antoni Gaudí e partiu para Barcelona.

Na Europa, as coisas começaram a mudar e acabou enveredando sua tese de doutorado para a moda, fazendo um paralelo entre moda e arquitetura: “No doutorado fiz um trabalho de semiótica, um vocabulário de alfaiataria, traçando um paralelo entre palavras de moda e arquitetura: janela e bolsa; lapela e fachada. Porque a roupa também é arquitetônica, é um espaço articulado em volta do corpo” (tirado do Chic).




Coleção apresentada na semana de alta-costura de Paris em janeiro. O colar verde do primeiro look é feito de cerâmica. Crédito: gustavolins.com

Com o resultado da tese, ouviu do professor que deveria investir na área de moda e assim fez. Transpôs suas habilidade de projeto para a modelagem e começou. Trabalhou como free lancer para maisons como a Kenzo, Galliano e Gaultier. Depois de muita prática, há cinco anos, resolveu arriscar sua própria marca: Gustavo Lins.

Adepto da moulage, ele tem como fio condutor de sua criação os kimonos japoneses. E em seu ateliê tem uma legítima oriental trabalhando como sua assistente.

O conhecimento, o domínio da técnica e o talento não são dons divinos, são calcados a base de muito estudo. Não é a toa que esse estilista mineiro radicado em Paris apresenta suas peças na Semana de Alta-Costura de Paris.

Ouvi dizer que teve gente que chorou na palestra dele.

***
Daqui a pouco tem mais sobre o Fashion MKT

Um comentário:

  1. Oi,fiz uma visitinha ao seu blog e adorei,
    adoro moda e
    estou começei meu blog a pouco tempo
    Como ainda tenho poucos leitores eu pensei se a gente podia
    indicar o blog uma da outra...
    eu comecei a indicar através de etiquetas(a minha é igual a imagem abaixo so q pequena e com o nome do blog)
    se vc tiver etiqueta ou quiser que eu crie uma e link pra vc me fala...
    qualquer coisa tbm a gent so coloca os links mesmo,vc q sabe.
    parabens pelo blog!
    aguardo reposta!
    bjo!

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.