6 de janeiro de 2008

Sorrio, sorrio, sou Rio

O título é uma frase da música Rio de Roberto Menescal e Ronaldo Boscoli

Parto para meu primeiro Fashion Rio. Essa última semana andei ausente do blog porque estava mergulhada em pesquisas sobre as marcas que vão passar pelas passarelas cariocas. Na próxima e na outra também (SPFW) será complicado aparecer por aqui. Mas, querido(a) leitor(a), não me abandone, que prometo uma cobertura original.

Entre releases, entrevistas e e-mails algumas palavras se repetiram: alfaiataria e o contraste entre masculino e feminino; acabamento artesanais, principalmente bordados; formas opostas - justa e solta, assim como curtos e longos; cores fortes (verde, amarelo, azul) além do preto e o cinza. Entres os tecidos os tecnológicos da tecelagem Santaconstancia, o de fibra de Bambu da Marles, o jacquard e o moleton serão presenças fortes. O xadrez é outra promessa invernal.

Crédito das imagens - divulgação

Acquastudio


Giulia Borges



Sta. Ephigênia
Victor Dzenk
Cantão



Antes da partida rumo a cidade maravilhosa, faço uma retrospectiva mental dos comentários que já ouvi de jornalistas sobre o evento. A crítica mais comum é que não há necessidade de ter duas semanas de moda no Brasil. O Fashion Rio tem a fama de não trazer inovações e de abrigar estilistas que não estão preparados para mostrar seu trabalho em desfiles. Comercialmente, no entanto, o Fashion Business, o megashowroom montado paralelamente aos desfiles, tem obtido bons resultados. Esse ano haverá um desfile das marcas que participam do salão de negócios. São 150 ao todo. O evento tem se mostrado um trampolim para chegar às passarelas. É o caso das marcas estreantes Apoena e a Homem de Barro. (a Homem de Barro, aliás, o Moda pra Ler falou sobre em 2006)

Tenho uma leitura um pouco poética da moda carioca. Não do Fashion Rio, mas da moda de rua e das grifes que nasceram lá. A moda de lá tem um colorido, um urbano com bossa que é todo deles. E esse “q” fica evidente nas criações de Isabela Capeto, Osklen, Totem, Lenny, Alessa, A Colecionadora, entre outros. Destaco também a Nina Becker que anda sumida do mundo da moda, mas que traduzia esse sentimento muito bem.

Crédito: CHIC
Imagens das coleções Verão 2008
Isabela Capeto

Osklen

Totem

Lenny

Alessa


Entre trabalho e poesia, a segunda é sempre mais inspiradora. Na volta conto o que restou do embate.

***
Dá uma olhadinha no Fora de Moda, do Oliveros que estará por lá postando e o About Fashion que também sempre faz ótimas análises.

Um comentário:

  1. Adorei o post, Laurita! já vai o link pro Modos de Moda! bjão e super boa sorte na cobertura - sei que vc vai arrasar!

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.