19 de agosto de 2007

nota sobre o sutiã

Madonna por Gaultier

“Soutien” - em francês, sustentação

Essa semana resolvi deixar as entrevistas de lado para dividir com os leitores do Blogview uma curiosidade que me assombrou durante a semana do aniversário da Madonna.

Certamente uma das imagens mais marcantes da carreira da cantora foi o figurino com o sutiã pontudo que Jean Paul Gaultier criou para ela no inicio da década de 90.

A recordação desse emblemático sutiã aguçou uma dúvida surgida durante o Salão da Lingerie quando a Lycra anunciou os “100 anos do sutiã” com uma exposição.

A fabricante conta o v0 da peça íntima como 1907, ano que em a palavra “brassiere” apareceu pela primeira vez em um editorial de moda nos EUA.

Sucesso de vendas da DelRio em 1967, na exposição da Lycra


Contudo, em uma pesquisa rápida no “Dicionário da Moda” da Georgina O´Hara, no Volume II da série “Reflexões de Moda” do João Braga, e na Wikipedia não encontrei a confirmação para esse marco incial.

O´Hara diz que o sutiã data de 1900, e assim como a Wikipedia cita a Mary Phelps Jacob como a precurssora do sutiã, responsável por patentear a peça nos Estados Unidos. João Braga não citou um inicio nesse texto e considera como fato importante na história dessa roupa íntima o ano de 1950, quando o aviador Howard Hughes (aquele do filme do Scorcese com o Leonardo de Caprio) desenvolveu um sutiã aerodinâmico para a atriz Jane Russell.

O projeto do sutiã de Mary Phelps Jacob

A atriz Jane Russel, musa inspiradora do sutiã de Hughes

Seja qual for sua origem, certamente é uma peça muito intrigante no guarda-roupa feminino. Se em 1968 eles foram queimados em frente ao senado dos estados unidos para mostrar a libertação feminina. Nos anos 90 aparecem livres nas passarelas confirmando o poder da mulher.

O ingênuo primeiro sutiã versus o sexy wonderbra


Sutiã da Victoria´s Secret, feito para mostrar

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.