29 de julho de 2007

Moda pra Ler entrevista: Carol Ambrósio - Dindi

A entrevista dessa semana no blogview é com a Carol Ambrósio da Dindi. Aí em baixo.

Laura diz: Criada dentro do brechó do pai, “Minha Avó Tinha” e apaixonada pela sensualidade das pin-ups, a estilista paulistana Carol Ambrosio tentou ser publicitária, mas acabou cedendo ao dna familiar. Ao invés de comprar e vender, resolveu criar e dessa decisão nasceu a Dindi.

Carol Ambrosio

Os anos passados dentro do brechó foram essenciais para definir o estilo da marca. Carol faz peças ultrafemininas que evocam ícones da sensualidade: pin-ups, bailarinas, vedetes, as voluptuosas mulheres dos filmes de Fellini, os cabarés franceses dos anos 20. Nas roupas isso transparece ora com tecidos fluidos e delicados, e com detalhes em rendas, ora com uma silhueta mais justa, com cintura marcada e o decote farto. Peças com perfume retrô para um figurino contemporâneo e cotidiano.

Carol respondeu a entrevista alguns dias depois de ter voltado da badalada feira de vestuário Bread and Butter, que aconteceu em Barcelona. A Espanha, aliás, é uma grande paixão da estilista “se existir outra vida, fui espanhola”, diverte-se a estilista que tem um carinho especial por Madri.

Moradora de Higienópolis, bairro em que também mantém seu ateliê, a estilista acumula o sonho de estudar moda em outro país e de se aperfeiçoar na técnica do moulage. Para a marca planeja uma loja própria para ficar mais perto de sua consumidora final.

Os sonhos, desejos e planos da estilista e da Dindi, o Moda pra Ler desvenda na entrevista a seguir.

Você esteve na Bread and Butter em Barcelona, como foi?
Foi o máximo!A feira é incrível. Super moderna, com outro conceito do que estamos acostumados em feiras. Super profissional.

Quais suas expectativas para o mercado externo?
Muitas! Estou amando, e está rolando super!

E o mercado interno, anda bem para a Dindi?
Sim. Temos clientes bem bacanas. Ainda quero abrir uma loja, com meu conceito e ai sim investir no varejo.

Quem são suas clientes hoje?
São multimarcas: Daslu, Dona Santa (Recife) e M e Guia (Belo Horizonte). Eu sinto não ter um contato mais direto com minha consumidora final.

Em reportagem do Estadão, você disse que o difícil não é entrar no mercado e sim continuar. Quais as principais dificuldades de continuar no mercado?
Tantas. Poderia ter paginas e paginas de descrição. Vou resumir de forma um tanto simplificada. Estrutura e planejamento é essencial, senão tudo é fugaz. Você precisa de muita estrutura e capital. Não basta ser bom. Quatro elementos básicos devem estar em sincronia: financeiro, comercial, estrutura produtiva e estilo. Então, começar é fácil porque ser novidade é fácil. Ser inovador a cada 6 meses, manter seu estilo atrativo, ter que competir com quem esta começando e com quem está aí há anos, são os grandes desafios.

Agora, sobre a história da marca. Porque escolheu esse nome?
Na verdade não tem uma super historia. Achei sonoro e possível de ser falado em varias línguas.

Quem são seus musa(os) inspiradores?
As Pin ups. Sou apaixonada.

O que te atrai na pin-up?
A pin-up evoca essa mulher que insinua. Isso me atrai.

Porque você optou por criações com ar retrô?
Na verdade, eu não optei. Eu vivi isto. Meu pai tem um brechó há 15 anos. Eu cresci naquele lugar. São essas minhas referencias.

Você segue tendências?
Acho que não. Mas é difícil falar não. Eu não sigo, mas se tem alguma coisa que eu gosto, vou aderir. Não da pra viver numa bolha.

Como desenvolve suas coleções?
Não tem um método.Gostaria de ter. Seria mais fácil. Cada coleção depende. Às vezes começo pelo tema. Em outra coleção posso começar a partir de uma peça que me apaixonei. Nesse caso adapto o tema ás cores. Em outros casos faço uma pesquisa maior. Também pode surgir de algo que vi.

Você considera sua marca vintage?
Sim, ela tem um perfume retrô sim. Mas não gosto de engessar neste conceito.

Você considera suas criações versáteis?
Quando crio quero que seja, mas agente não ta lá no guarda roupa da cliente, né? Penso que é uma roupa para ser usada em varias ocasiões. Depende dos acessórios e sapatos. Não gosto de rotular: “Roupa para sair”, “Roupa para festa”, “Roupa para trabalhar”.

Coleção Balé, a vontade de ser atriz, trilha de desfile com Nino Rota... Isso explica sua roupa também ser um ótimo figurino e ter um quê cinematográfico. O cinema é uma grande referencia para você?
Sem Duvida!!! Na verdade aprendi muito com os filmes e com o Theo (meu namorado) que é viciado. E minha sogra que é super bacana e dá varias dicas.

Tem alguma cena de cinema que você considera inesquecível?
Difícil escolher uma... Ah! Claro! Uma do Filme Drácula do Copolla. É um dos filmes mais lindos que eu já vi. A cena que a Lucy está morta no caixão, vestida de branco gelo, com uma gola Rufo maravilhosa e cospe sangue, super vermelho, numa cena toda branca. É incrível!

Você já fez figurino com roupas da Dindi para alguma peça de teatro ou cinema? Tem vontade de fazer?
Nunca fiz. Já fiz parte de um grupo de teatro. Teatro é minha paixão. Acho que é onde realizo a vontade de ter muitas personalidades. Mas figurino tenho vontade sim.

Como é o estilo da Carol Ambrosio?
Como é seu guarda-roupa? Como é a decoração da sua casa?

Gosto de brincar com as coisas. Gosto de personagens. Sem pretensão. Meu armário é inteiro Dindi e brechó, com algumas exceções. Minha casa também, moro com meu namorado, então tem o estilo dos dois. Ele é mais desencanado. Improvisamos bastante. Gosto de improvisar.

Você que cresceu em brechó. Tem alguma técnica para garimpar as roupas usadas?
Tem sim, mas não sei explicar. Tem que ter paciência. Fuçar, ter olho para achar e ir sem preconceito.

Muitas pessoas têm preconceito de roupa de brechó. O que você acha disso?
Eu não entendo quem tem preconceito, porque eu cresci em um brechó.
Lavou ta novo. Só lingeire que prefiro não comprar.

Você acha que um dia vai mudar de estilo?
Não sei. A gente muda e amadurece o tempo todo. Com a moda eu aprendi uma coisa: nunca é muito tempo!!!! E nunca diga nunca, pois você pode morder a língua.

3 comentários:

  1. vc postou uma vez falando aqui do brechó donana agora vive aparecendo gente falando que pegou o endereço aqui!

    ôoobrigado hehe

    beijo

    ResponderExcluir
  2. Adoreiiiiiii a entrevista!!
    Eu particularmente sou apaixonada por pin ups e até já fiz uns ensaios fotográficos vestida de pin up... adoraria conhecer mais o trabalho desta estilista!!!

    Beijoooo

    ResponderExcluir
  3. Ja sou uma incondicional du seu blog!

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.