6 de maio de 2007

Casa de Criadores Dia 1

Moda pra Ler entrevista: Ash

Roberto Leme e Guil Macedo

Estreantes na Casa dos Criadores, os estilistas Guil Macedo e Roberto Leme da marca Ash, sigla para A.nimal S.treet H., atenderam o Moda pra ler logo após o desfile do primeiro dia da Casa de Criadores. Os dois estão há três anos e meio juntos e há três vendem roupas. Suas criações são encontradas em quatro pontos de venda em São Paulo, todos nos jardins, um no Rio e um no Japão.

Nunca tinham feito um desfile até serem convidados para a Casa de Criadores. Apesar de críticos da rapidez dos tempos modernos, apertaram o passo para participar do evento. “Não podíamos recusar o convite”, confessou Guil.

O trabalho deles é marcado por estampas coloridas feitas a mão que lembram grafites e arte de rua. São roupas em formas geométricas feitas em malha, dirigidas para o jovem urbano e descolado.

A dupla tinha torcida organizada na platéia. Nos bastidores, ainda ofengantes e cercados de amigos, como a dupla Helena e Lívia da Amonstro e Dudu Bertholini da Neon, os criadores contaram um pouco como foi trabalhar para essa estréia.



Como foi a estrear na passarela?
Guil: Chegamos super cedo. Quando eram 7h, estava todo mundo pronto. Algumas pessoas vieram falar que estávamos loucos que estava muito cedo. Ficamos muito nervosos, mas no final deu tudo certo.

Fala um pouquinho sobre as estampas dessa coleção?
Roberto: Foram todas feitas à mão com nanquim. São estampas exclusivas. Estampo peça por peça, para que não haja muita repetição. Fazemos em média 16 desenhos por coleção. Para a Casa de Criadores desfilamos 24 peças e 17 estampas. Guil: Vamos compondo os desenhos uns sobre os outros. Por exemplo: a tela A com a Tela B, a B com a C e assim vai.

E no que os desenhos são inspirados?
Roberto: Procuro trazer objetos do meu cotidiano. Me inspiro no que vejo pela janela. Moramos no bairro do Paraíso que tem vista para o Parque Ibirapuera. Temos muitos animais, peixes e gatos. Nossas coleções sempre carregam a crítica à rapidez dos dias de hoje. Acreditamos que nos dedicamos mais quando temos tempo para fazer as coisas. Esse boneco, por exemplo, (mostra o pingente do seu colar) tem cara de preguiçoso.

Fala um pouco de como foi fazer as roupas?
Guil: Eu sou muito ligado em arquitetura e me inspiro em algumas casas que vejo, principalmente no meu bairro, para desenvolver as formas das peças. Nessa coleção tinha camiseta, vestido, macacão, muitos bolsos também.

E como foi a produção estréia da Casa dos Criadores? Correram muito?
Guil: Tem camiseta que terminamos em meia hora, mas a coleção demora porque depende das oficinas que costuram. A produção é de mais ou menos 400 peças.

Como vocês vendem suas coleções?
Guil: Vendemos em lojas multimarcas, atualmente na Ellus 2nd Floor, na Acervo Benjamin, na Garimpo Fuxique e na loja das Gêmeas. No Rio vendemos na Cucaracha e uma loja do Japão também comprou peças nossas.

Pensam em abrir loja própria?
Guil: Ainda não

Quais os planos para marca?
Roberto: Queremos diversificar e não só ficar presos às roupas. Queremos também vender pinturas, Toy Art. Nós também ministramos aulas de Toy Art na Escola São Paulo.

Para saber mais sobre a dupla:
http://www.myspace.com/artash
http://www.fotolog.com/ash__


***
Desfile: Erika Palomino
Dupla Ash: Laura/Moda pra Ler

Um comentário:

  1. É muito didícil achar blogs de moda na internet! Parabéns!

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.